segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Safira desatina...

Quem nunca cometeu um desatino?!
Meu Deus, eu sou uma das pessoas que, certa ou provavelmente, mais cometo desatinos na face da Terra. Primeiro, porque sou meio relaxada em relação às opiniões alheias - não ligo se dizem que sou feia, se meu cabelo não combina com meu rosto, se a blusa cor-de-rosa não cai bem com a saia amarela e coisas desse tipo; Segundo, porque sou bonita, meus metro e sessenta e cinco, meus seios médio pra grande, minha cintura afinada e meus lindos cabelos com leves ondulações, sempre me abriram muitas portas, e fecharam tantas outras (ser bonita, às vezes é um pecado), mas ser bonita e vistosa sempre chama muito a atenção onde passamos e entramos; Terceiro, porque sou mulher - e há coisas que são imperdoáveis para uma mulher.

Cometo desatinos também em cerimônias, como estar tão distraída que na hora de cumprimentar a viúva, no velório, dei-lhe os parabéns! Tentei remendar dizendo "por Deus ter lhe dado a oportunidade de viver com ele durante estes últimos anos", o remendo foi pior, porque viveram juntos quarenta anos (não últimos - que trata sempre de uma referência aos poucos últimos) e segundo porque nos dois últimos anos estavam separados, porque o safado do meu tio tinha arrumado uma amante.

Mas é na vida amorosa que mais me embaralho. Eu sempre disse que nós deveríamos nascer com um manual de instruções, mas não existem fórmulas, não existem caminhos exatos, não existem certezas... aí, me estrepo toda. Amo, me entrego, me decepciono, sofro, me afasto. Juro nunca mais ser de ningupém... aí vem uma cara legal, amo, me entrego, aí percebo que o cara não é tão legal assim (normalmente ele pensa que fidelidade é uma palavra feminina, e por isso deve constar somente no dicionário feminino, e nunca a adotam), então me decepciono, sofro, me afasto ... tudo de novo... Interminavelmente, repetidas vezes...

Mas são essas coisas que são inusitadas, que são, às vezes, erradas, que nos colocam em situações cômicas ou em saias-justas, que nos farão no futuro, quando estivermos velhos e mais sem paciência para as besteiras dos outros, percebermos que vivemos; e riremos do ridículo que fomos, e agradeceremos a todos pela paciência que tiveram em nos suportar.

4 comentários:

Marcos disse...

acho que conheço essa mulher...

MUTUMUTUM disse...

Fique tranquila, Safira.

Mutumutum tbm dá seus passos em falso... é certo que nunca parabenizei uma viúva num velório, mas quem sabe um dia?

Abraços o/

tita coelho disse...

adorei...vixi me senti meio parecida rsrs! Acho que todas somos meio assim!
Tem presente pra ti lá no meu outro blog!
beijos

tita coelho disse...

adorei...vixi me senti meio parecida rsrs! Acho que todas somos meio assim!
Tem presente pra ti lá no meu outro blog!
beijos