terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

UM MÊS




Um mês desta amizade
tão sincera, tão cara,
tão querida, de verdade,
um mês de sinceridade
de tantas coisas pra tão pouco tempo
pra tão grande envolvimento
para tanta afinidade.

Que deus tão mau é este
“que mostra os vales onde jorram leite e mel”,
onde flores e cores nascem,
onde o amor, o apreço, o apego, são naturais
e brotam como plantas
“e esses vales são de deus”,
inacessíveis ao mortal?!

Te conhecer mudou meu norte
mudou meu ângulo de visão
e desejo como desejo
que esta mulher encantadora,
deusa e única
me seja a última
e o sentido de tudo o mais que farei.

Um mês somente,
30 dias apenas
e a imensidão do que sinto
crescer
que me amedronta,
mas como não sou covardeme lanço de cabeça.

2 comentários:

Marcos disse...

Te conheço, moleque...

Van disse...

Que esse mês transforme-se em eternidade para ti e tua amada.
Beijuca