quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Menina Escondida



Onde está você minha menina
que de tão frágil toda se esquiva
dos problemas, das dores, do escuro?

Onde está você, que se esconde atrás do muro
para que o dia mau não te encontre,
passe por ti e não te toque?

Onde está minha menina
que sumiu no interior de uma mulher
que procurando ver-se forte
faz-de-conta que não pode
sofrer?

Só surge para nós essa mulher
tão erotizada
tão dona-de-si
tão poetiza encantada
escondida n'alma dilacerada
que nem sabe mais compor
a poesia de sua vida!

A vida corre e escoa
como gotas de tempo pela ampulheta sem areia
enterrando sonhos
soterrando cada vez mais a menina
que se sabe existir
no fundo do coração dorido
e que procura emergir
deste mar de lágrimas retidas
que não caem porque a mulher não deixa.

Menina, menina, menina...
aflora logo da mulher
surge para que possamos ver
que nos dias de extremas dores
e angústia
só quer chorar
para que eu possa lhe dar meu colo
meus lábios
meu peito
meu corpo
meu sexo
e lhe consolar da vida
dando-lhe nova vida.

Vem minha menina
pr'eu abrigar você
em meu coração
e deixar você se derreter
em canções
e em melodias perenes que encantarão os ares
com teus sons infindos.

2 comentários:

tita coelho disse...

Linda...classificaria, como a poesia de alguns dias meus rs!
Pode mandar o texto para meu e-mail leticia.lo.coelho@gmail.com e lógico que pode pegar aquela frase...ela é ótima!
beijos

Van disse...

Rui...
Me vi em cada linha.
Chorei por cada palavra.
Um dia encontrarei a minha menina.
Um dia me encontrarei...
Um dia....

Emocionante o teu poema.
Tu é lindo, viu?
Beijucas