quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Encontrando

Como quem canta uma canção
te procuro suavemente em minha mente
menina-mulher-minha...
não minha porque te possuas
mas porque te me dás,
minha porque sou teu
e nos somos casal
e nos somos um
porque o amor
como cola, une
como droga, enebria
como o vento, assanha
como ele próprio, completa.

Distante de ti,
em minha mente estou perto
e te beijo
e te abraço
e te sou eu,
cheio de defeitos,
completo de falhas,
que amo e demonstro esse amar
de uma forma
inquestionavelmente sincera...
mas não estás, e estás,
e procuro a menina
que se esconde atrás do muro
que ergueu enre nós
para proteger-se de si mesma
porque o amar-sem-medida pode levar à dor
ao desconhecido
e te acho no meu peito.

4 comentários:

Van disse...

Todas as vezes que procuro o amor em mim, ele responde com seus muros e silêncios...
Por isso entendo a tua menina perfeitamente.

Lindo poema, Rui!
Você se supera a cada dia.
Anda inspiradíssimo!
Sorte nossa!
Beijucas muitas.

PS: Já vi o custo daquilo que estava te devendo. Desculpe a demora. Quando aparecer, te passo tudo. Inté.

Juliana Caribé disse...

Que declaração de amor linda!!

tita coelho disse...

Muito Linda a poesia! É uma declaração de amor perfeita para a mulher amada!
beijos

Lucy disse...

lindo...