quarta-feira, 30 de abril de 2008

Conversando com a poeta


Foram tuas letras que me trouxeram a ti

e por mais que eu tenha tentado,
não consegui fugir de tua teia,
da sedução que proporcionas nas palavras.
Ter te conhecido
me fez me conhecer mais
e assumir uma dimensão
que eu sequer sabia a existência - a dimensão da poesia!

Viu poetisa!
Tá na veia...
em tuas veias não correm sangue
correm pontos, acentos, letras, idéias...
sempre falas em sangrar
as palavras rebentam de ti como hemorragia,
tu sangras palavras,
com ritmo, poesia
Como não fazer poesia a ti, deusa,
que encanta meu passado como farol
lançando luz para meu futuro
Temia voltar,
porque sabia
teria que deixar brotar
toda a poesia que guardo aqui dentro
brotar toda a poesia que guardo aqui dentro
e que pede explodir,
mas que os km de distância me doem
e só eu sei como sofri sonhar tão distante
tão perto
tão teu
tão longe
só eu
Me doía tanta distância
e tanta desesperança
de vivenciar o que minha alma clamava
e o tempo e a distância
qual deuses cínicos e cruéis
não me permitiam tocar, ver, cheirar, ter...
Que deuses tão cruéis são esses,
“que mostram a terra onde mana leite e mel, e estas terras são de deus”!!

Sim, sou melhor que você,
sei que sou melhor poeta que qualquer poeta
porque a musa que me inspira
é a mais digna das musas
e toda a inspiraçãoque eu sempre jurei que não existia
existe e vem de ti
Nunca existiu inspiração, porque não existias em mim
você não sabe como lutei contra mim mesmo
preferi enfrentar a solidãoa
doença sozinho
teu desprezo
até teu ódio
para não me expor assim
porque essas coisas do coração ficam guardadas,
platônicas,
até a gente expô-las
aí, minha amada,
tamo fudido...
depois que a gente resolve assumir que tá apaixonado:
tamo ferrado
Sabemos que ficou uma lacuna
que criei um abismo que jurei nunca procurar transpor,
mas me sinto enfeitiçado
e fugia, não de você, de mim
agora...
Foda-se o mundo

4 comentários:

Vênus disse...

Nossa..Arrasou!!
Meu PC está sangrando.....rs

Muito bonito mesmo!

bjs

Van disse...

Tuas letras me são tão conhecidas quanto a minha imagem no espelho.
Tuas rimas me soam tão minhas quanto aquela velha canção trancafiada na minha gaveta mais íntima.
Tudo é quase meu.
Beijuca

Van disse...

Quase.

Du disse...

Que lindoooooooooo!

"Me doía tanta distância
e tanta desesperança
de vivenciar o que minha alma clamava
e o tempo e a distância
qual deuses cínicos e cruéis
não me permitiam tocar, ver, cheirar, ter..."

Inspirador...