sexta-feira, 16 de maio de 2008

O ato


Nos espasmos que teus sussurros me causam
e nos arrepios que tuas mãos me levam
derreto-me secretamente em ti
que se expandes em mim
e te ocupo os espaços
rompendo e invadindo o caminho já preparado
com o tapete vermelho da sangria
escorres para que em ti escorra-me.
Em rompantes frenesis
te possuo, possues a mim,
dores, risos, contrações
indescritivelmente íntimas são as sensações
arfar, arfando, gemendo,
sussurrando coisas initelegíveis
vamos, vimos, não saímos, nem ficamos,
num abraço suado
os risos se formam nas bocas
que não se desgrudam de beijar...

3 comentários:

Joanne e Cláudia disse...

Que coisa mais linda,Rui...adorei "o tapete vermelho da sangria"!!Belas imagens...
grande abraço
(Jô)

Vênus disse...

Olá,querido
Agrada-me muito esta veia poética meio rock,meio blues rsrs

Bjs

Van disse...

Interessante isso.
Esse lado erótico aflorado.....