terça-feira, 15 de abril de 2008

Estréia


Entrou assustado, sempre ouvira falar que locais como esse não deveriam ser frequentados por pessoas de boa índole, mas não se conteve... a curiosidade falava mais alto.

Apesar da pouca idade, ninguém restringiu sua entrada ou questionou o porquê de estar ali.

O ambiente escuro, com fumaça e cheiro de cigarro, muitas vozes e ruídos indecifráveis, as caras eram todas muito esquisitas - talvez ele estivesse estereotipando as pessoas pelas informações que sempre recebera sobre os antros.

Uma mão o surpreendeu quando suavemente tocou seu pescoço... virou-se rapidamente, e antes que percebesse sua boca já estava tocando outra boca, e aquele beijo foi tornando-se intenso... não ouvia mais rumores, nem vozes, nem ruídos, só a respiração arfante daquela mulher misturando-se aos gemidos que saíam surdos de sua boca...

Nunca sentira seios em contato com seu corpo e aquilo lhe era muito agradável e excitante, seu membro virgem já estava ereto e a mulher roçava-se nele, ali mesmo, no corredor do inferninho, sem pudores... sua língua lambia-lhe o tágus da orelha direita e sua excitação não lhe permitia pensar em mais nada...

A mão daquela mulher abriu-lhe o botão da bermuda, baixou-se-lhe o zíper, e a bermuda desceu-lhe aos tornozelos - ele quis envergonhar-se e ouviu a voz balbuciante em seu ouvido:- Deixe, ninguém tá nem aí...

E sua mão pegou-lhe o membro e começou a fazer os movimentos masturbatórios, levando o garoto à loucura...

Ele se contorceu de prazer e ela lhe beijava... as mãos do meninos foram aos seios e ela deixou que ele os chupasse, aqueles lindos seios brancos com mamilos róseos...

Ela sente que o pênis adolescente está começando a pulsar então puxa a cabeça do rapaz e lhe beija enquanto ele ejacula em sua mão... a mão suja de sêmen ainda, ela leva à boca e dá uma grande lambida... ele está tão excitado que não se enoja e ela lhe beija... o primeiro beijo de sua vida com gosto de sêmen...

Ela lhe diz para ele se vestir... enquanto abaixa-se para pegar a bermuda e reerguê-la, ao levantar os olhos não vê mais a mulher que sumira, e todos no beco o estavam olhando, mas fazem de conta que nada aconteceu...

Com pernas bambas, o rapaz volta pra casa e masturba-se novamente antes de dormir...

Nunca mais esquecera aquela que nem lhe sabe o nome, mas que lhe foi a primeira mulher.

2 comentários:

Flávia & Kbça disse...

Cara, fantástico!! forçe seus ouvidos e escutará minhas palmas, estou de pé aplaudinho. Nunca tinha lido um texto que falasse sobre sexo, sem que estivesse um palavrão!! perfeito.

Agora, sabe que algo parceido aconteceu comigo?? não foi minha primeira mulher... mas me fez lembrar uma situação bem embaraçosa...

até.

Van disse...

Verídico, baseado em, ou fantasia?
Ficou muito bom, seja lá o que for.
Parabéns.